quarta-feira, 23 de junho de 2010

 

Congado de Santo Antônio do Amparo



Copiei de Fernando Rebouças sobre o significado do Congado.

A lenda de Chico-Rei revela que a origem das festas do Congado está ligada à igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Segundo a lenda, Francisco, escravo batizado com o nome de Chico-Rei, era imperador do Congo e veio para Minas Gerais com mais de 400 negros escravos.
Na sofrida viagem, Francisco perdera a mulher e os seus filhos,sobrevivendo apenas um. Chico-Rei instalou-se em Vila-Rica, trabalhou nas minas e somando o trabalho de domingos e dias santos, conseguiu realizar a economia necessária para comprar a sua alforria e a do filho. Chico-Rei dançou na igreja para comemorar a alforria.
Posteriormente, obteve a alforria de seus súditos de nação e adquiriram a mina da Escandideira. Casou-se com uma nova rainha e o prestígio do “rei preto” foi crescendo.
Organizaram a irmandade do Rosário e Santa Efigênia e construíram a igreja do alto da santa cruz. Por ocasião da festa dos Reis Magos,em janeiro,e na de Nossa Senhora do Rosário,em outubro, havia grandes solenidades generalizadas com o nome de “Reisados”.
Nestas solenidades, Chico-Rei coroado, antes da missa cantada,aparece com a rainha e a corte, vestido de ricos trajes; e seguidos por dançarinos e músicos.
Os batedores, na festa, seguem com caxambus, pandeiro marimbas, canzás em intensas ladainhas.
O congado também é conhecido como “congada” ou “congo”, um festejo popular religioso afro-brasileiro mesclado com elementos religiosos católicos,com um tipo de dança dramática na coroação do rei do Congo,em cortejo com passos e cantos, onde a música é o “fundo musical” da celebração.
É um movimento cultural sincrético,um ritual que envolve danças, cantos, levantamentos de mastros, coroações e cavalgadas, expressos na festa do Rosário plenamente no mês de outubro. São utilizados instrumentos musicais como cuíca, caixa, pandeiro e reco-reco, os congadeiros vão atrás da cavalgada que segue com uma bandeira de Nossa Senhora do Rosário.
Em Santo Antônio do Amparo, em outubro, todos os dias a gente observava esta festa que se não for propagada terminará.
Crianças, jovens e velhos alegremente, vestem os ternos,como dizem e saem pelas ruas pedindo esmola para algum santo de devoção e para Nossa Senhora do Rosário. Vão na frente os reis e rainhas e o mastro com as bandeira.
É um folclore gostoso de escutar, uma batida com instrumentos feitos por eles mesmos. Percorrem as fazendas e as comunidades rurais. Bebem suas pingas, mas só para animar.
Papai tirou esta foto há muitos anos. Mais ou menos 20 nos atrás.
Hoje quase ninguém conhece este folclore. Originario da Africa, e realizado por aqui com grande barulho.
OBS: Mamae está hospitalizada. Não é nada grave, uma asma que a incomoda há muitos anos, mas tem medicamento que só poderá ser realizado lá.
Por isso não estou tendo jeito de estar aqui.
Mas nunca é demais pedir orações.

Comentários:
Olá,
Nossa qta cultura! Uma beleza esse reizado.
Vou rezar é já por sua mãe, ela vai estar de volta logo.
Abraços para todas e em especial para D.Maria Alice.
 
Olha só! Eu jamais saberia! Obrigada Monica, por pesquisar e dividir conosco! E sua mãe? Melhorando? Dê-lhe um beijo por mim, tá? Sua amiga, Deia.
 
Gosto muito dessas apresentações culturais. Que não se percam pelo tempo, né? O Brasil tem uma cultura rica e variada, temos que valorizar.
bjs e bom dia Moniquinha!
 
Mônica, eu tinha medo do congado, por causa dos meninos que vão na frnete fantasiado. Congado e folia de Reis é a mesma coisa?? Eu morria de medo e qdo estava na casa da Tonha e eles chegavam cantando eu nem saia de dentro de casa. Que menina medrosa era eu, né.?
Marilia
 
Sempre quis saber mais sobre Chico-Rei. Fiquei contente com a explicação. Gostei da explicação sobre o congado. Espero que essas tradições sejam divulgadas para que as futuras gerações possam continuar com elas.
Já estou orando por sua mãe. Espero de coração que ela melhore logo.
beijos,
Elisa
 
Oi Monica! Vim aqui relembrar-lhe de uma coisa: quem lhe indicou para um Prêmio Dardos (25/5/10) fui eu! E sabe por quê? Por acreditar que você, e MUITO, preenche os valores que ele representa - lembre-se sempre disso, viu? Amiga, prezo-lhe por demais, nunca se esqueça disso! Você tem tanto valor que nem se dá conta! Um beijo enorme, beijos na sua mãezinha também! Deia.
 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]





<< Página inicial

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]